Nos siga nas redes sociais

Colunas

3 alimentos que não podem faltar na quarentena.

Publicado

em

Larissa Lima

Durante a quarentena, o número de pessoas preocupadas com a imunidade aumentou. Para isso, os cuidados com a alimentação não podem ser negligenciados! Afinal, muitos alimentos são essenciais para manter o nosso sistema de defesa funcionando corretamente. Por isso, trago para vocês 5 alimentos que não podem falar na sua lista de compras durante a quarenta.

Limão: Além de ser rico em vitamina C, nutriente essencial para produção das células de defesa, o limão também apresenta uma ação antioxidante que protege as nossas células contra os ataques dos radicais livres. Outro fato interessante é que a casca do limão, que muitos desprezam, possui uma substância chamada limoneno, que também fortalece o sistema imune ainda proporciona outros benefícios a saúde. A dica é, faça do limão com casca uma limonada.

Vegetais verdes escuros:  Couve, do espinafre, da rúcula, agrião… Além de serem ricos em vitamina C, possuem outras vitaminas e minerais essenciais para o bom funcionamento do nosso sistema imunológico, como as vitaminas A, K, ácido fólico, vitaminas do complexo B, cálcio e ferro. As fibras presentes nesses vegetais, também contribuição para saúde intestinal, que está relacionada com a nossa imunidade. Então, não deixe esses vegetais faltarem no seu prato. Para quem tem dificuldade de comer vegetais, pode misturá-los com uma fruta cítrica em um suco, inclusive essa estratégia é excelente para aumentar a absorção do ferro.

Oleaginosas: Castanha de caju, castanha do Pará, nozes, avelãs e amêndoas… são fontes de vitamina E e selênio. A Vitamina E, é um importante antioxidante que ajuda a manter o funcionamento e a estrutura das células livres dos radicais livres. Já o selênio, é um mineral extremamente importante por ajudar a reduzir a inflamação e a melhorar a imunidade. Inclusive, um estudo publicado no American Journal of Clinical Nutrition, apontou uma correlação entre a taxa de recuperação da Covid-19 e o consumo regional de selênio na China. Ele também relatou que o consumo deficiente em selênio, investigado em outras patologias virais, pode causar uma produção insuficiente de selenoproteínas antioxidantes, resultando na mutação do vírus para uma forma que causou uma patologia mais grave. Assim, procure consumir uma porção de oleaginosas ao dia, e você também pode fazer um mix, misturando-as.

Referência: ZHANG, Jinsong et al. Association between regional selenium status and reported outcome of COVID-19 cases in China. The American Journal of Clinical Nutrition, 2020.

Larissa Lima – Especialista em emagrecimento comportamental.

Instagram: @larissalima.oficial

Continue Reading
Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Sistema de Comunicação de Pernambuco

Copyright © 2021 PE News. Desenvolvido por avanzzada

Grupo Remop