Homenagens, samba de coco e rap marcam a 14ª noite do FIG 2022

Guitinho da Xambá foi o grande homenageado da noite pelo grupo Bongar e convidados
 Homenagens, samba de coco e rap marcam a 14ª noite do FIG 2022

A 14ª noite do 30° Festival de Inverno de Garanhuns (FIG), aconteceu nesta quinta-feira (28) com grandes shows de rap e homenagens a Guitinho da Xambá, cantor e compositor que faleceu em 2021. Subiu ao palco da Praça Mestre Dominguinhos nesta noite, após 11 anos do último show, o Grupo Bongar, logo após o palco recebeu o rap de Filipe Ret e Baco Exu do Blues.

Abrindo a noite de shows, o grupo Bongar, iniciado em 2001 por Guitinho da Xambá, trouxe homenagens ao fundador do grupo. No início do show Marileide Alves, viúva do homenageado, recebeu da Secretaria de Cultura de Pernambuco (Secult-PE) uma placa em memória de Guitinho. Participaram do show diversos convidados, que se emocionaram durante a apresentação. “O FIG foi importante para mostrar as pessoas a importância de Guitinho para a cultura popular e para as pessoas que lutam contra o racismo e contra a intolerância religiosa”, disse Marileide.

A segunda apresentação da noite ficou por conta do rapper carioca Filipe Ret, que levantou o público e contou com uma legião de fãs aguardando esse momento. O artista cantou sucessos da sua carreira e aproveitou o coro animado da plateia em cada música.

Finalizando a noite de shows, Baco Exu do Blues subiu ao palco pela primeira vez no FIG. Em seus álbuns “Esù”, “Bluesman” e “Quantas Vezes Você Já Foi Amado”, o artista levanta o debate acerca do racismo estrutural na sociedade, e conta com influências das religiões de matriz africanas e cantigas de terreiro nas melodias de suas canções. Com repertório marcante, somado ao seu carisma e interpretação, Baco Exu encerrou mais uma noite memorável da maior, melhor e mais intensa edição do FIG.

Fotos: Vinicius Vilela e Thomas Ravelly

Digiqole Ad Digiqole Ad

Notícias relacionadas