Mais de 500 metroviários decretam Estado de Greve em Assembleia Histórica na Estação Recife

 Mais de 500 metroviários decretam Estado de Greve em Assembleia Histórica na Estação Recife

A Praça da Greve na Estação do Recife viveu uma noite histórica nesta quarta-feira (11), com os metroviários e metroviárias se reunindo em Assembleia. Em votação com a categoria, os metroviários decidiram entrar em estado de greve, além da defesa da tarifa social de R$ 2 reais para a população e a Assembleia permanente até a próxima quinta-feira (19), quando será realizada a próxima Assembleia Geral.

O presidente do Sindmetro-PE, Luiz Soares, falou sobre as articulações políticas feitas pelo Sindicato e a importância da união da categoria contra o processo de privatização. “Estamos fazendo várias articulações políticas, mas precisamos que todos os trabalhadores e trabalhadoras estejam unidos para pressionar o Governo do Estado a não aceitar a estadualização do metrô. Teremos na próxima sexta-feira (13), reunião com o presidente do CREA, Adriano Lucena e com a vice-governadora de Pernambuco, Luciana Santos. Já solicitamos uma reunião com o governador Paulo Câmara até a próxima quinta-feira, pois, em caso de não suspensão do processo de privatização, conforme o noticiado pela empresa, a categoria irá decretar greve e paralisação dos serviços por tempo indeterminado na Assembleia da próxima quinta (19)”.

As articulações prosseguem, e o diretor da CUT-PE, Paulo Ubiratan informou que a deputada estadual Teresa Leitão está em reunião para criar uma comissão para falar com pré-candidato à Presidência, Luiz Inácio Lula da Silva e discutir estratégias.

Funcionário do Metrô, Tiago Mendes, falou sobre a necessidade de união entre os metrôs do Brasil precisam ter e na importância em defender o transporte público, reativando as setoriais no Brasil. “Se mexer com um, o Brasil inteiro para”.

Representando a CTB e o Fórum das Centrais Sindicais, Herbert Beserra, criticou os aumentos excessivos que castigam a população com o aumento da gasolina a R$ 8 reais o litro, o gás de cozinha sendo vendido a R$ 130 reais e o aumento de mais de 300% na passagem do metrô que passou de R$ 1,60 para R$ 4,25 com a falta de investimentos e o sucateamento do sistema.

Luiz Soares fez as reivindicações e enfatizou que não serão aceitas as medidas impostas pelo Governo Estadual. “A categoria não vai aceitar as medidas representadas pelo Governo de Pernambuco e lutará para que seja realizados os investimentos por parte do Governo Federal que não vem cumprindo o seu papel, negligenciando o sistema e a população que precisa usá-lo. Defendemos a tarifa social, para garantir a ida e vinda dos trabalhadores e trabalhadoras que precisam utilizar o serviço, porque a situação que está aí é gritante, não é aumento o valor das passagens. Pois, na realidade é preciso baixar as tarifas e o Governo Federal tem que garantir isso para os trabalhadores”.

Em discurso emocionado, o técnico da manutenção, Bruno Rafael falou sobre a importância do trabalho dos metroviários. “Existe uma fama que funcionário público não trabalha. Mas, qual é o funcionário público que trabalha 12 horas por dia. Eu trabalho no sábado, domingo, feriado e é importante que a população nos conheça, pois é dessas mãos sujas de graxa que mesmo sem recursos, ajudamos a população no conserto dos trens e ferrovias”. Bruno ainda falou sobre a possibilidade de o usuário ter que pagar outra passagem nos terminais integrados do metrô, caso ele seja privatizado.

A próxima Assembleia está marcada para quinta-feira (19), novamente às 18h, na Praça da Greve (Estação Recife).

Digiqole Ad Digiqole Ad

Notícias relacionadas