Nos siga nas redes sociais

Coluna Do Investidor

Como Funcionam os Fundos de Inflação?

Publicado

em

Investir através de fundos de investimentos pode ser uma opção interessante para aqueles que desejam delegar a administração de seus recursos financeiros.

Afinal, através dos fundos de investimentos os gestores seguem uma política de acordo com o objetivo pré estabelecido, e usam sua experiência para comprar e vender ativos visando alcançar os objetivos.

Nos fundos de inflação, os gestores investem em ativos que refletem o comportamento de títulos públicos, que têm a rentabilidade atrelada à inflação. Tratam-se de fundos de gestão ativa.

Fator que pode proteger o investidor dos cenários de incerteza em relação à inflação, especialmente no longo prazo.

A carteira desse tipo de fundo é formada por aplicações com rendimento corrigido por índices de inflação, como o IPCA ou o IGPM. Além disso, as principais aplicações são o Tesouro IPCA e os títulos de renda fixa associados a esses indicadores.

O IMA-B, por exemplo, é um índice de renda fixa que reflete a performance deste mercado de títulos atrelados à inflação.

Uma das principais estratégias dos fundos de inflação é o vencimento dos títulos na carteira. Dessa forma, existem:

 

  • Fundos de IMA-B 5: títulos com vencimento menor que cinco anos;
  • Fundos de IMA-B 5+: títulos com vencimento acima de cinco anos.

 

Os Fundos de IMA-B 5+ estão sujeitos a uma instabilidade maior no curto prazo. No entanto, eles também oferecem oportunidade de rentabilidade mais alta para os investimentos no longo prazo.

Os fundos IMA-B têm cobrança de taxa de administração. Ela pode variar entre 0,5% e 2%.

Além disso, alguns fundos de inflação podem fazer a cobrança de uma taxa de performance sobre rentabilidade que exceder a performance do IMA-B.

Considera-se a rentabilidade do fundo de inflação híbrida. As Notas do Tesouro Nacional (NTN) que o fundo carrega são compostas por 2 tipos de remuneração:

  • Juros fixo e pré-determinado no momento da compra.
  • Inflação. Nesse caso ela, o IPCA é quem mede, por isso, seria pós-fixada.

 

Dentre as principais vantagens desse tipo de fundo, podemos citar a característica de ser uma renda fixa com potencial de variável. Isso significa dizer que o retorno desse fundo mais se assemelha a um fundo de renda variável do que de renda fixa.

Em segundo lugar, está a liquidez. Como esses fundos aplicam em títulos públicos, um dos mercados mais negociados do País, eles conseguem oferecer maior rapidez no momento de um resgate. Além disso, ele também oferece um baixo investimento inicial pela mesma razão.

No geral, os fundos de inflação prometem baixos custos. Como é um fundo de renda fixa com pequena complexidade operacional, as taxas de administração costumam ser baixas.  Por último, também pode se considerar a gestão profissional uma vantagem básica de qualquer fundo de qualidade. Como desvantagem, podemos citar as próprias variações de curto prazo.

Agora que você conhece os fundos de inflação, faz sentido considerá-lo em sua estratégia de investimentos?

 

Sigo torcendo pelo seu sucesso!

 

Forte Abraço,

Arthur Lemos

Continue Reading
Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Sistema de Comunicação de Pernambuco

Copyright © 2021 PE News. Desenvolvido por avanzzada

Grupo Remop