Nos siga nas redes sociais

Destaques

Curiosidade: um do pouco da história dos cassinos no Brasil

Publicado

em

O Brasil é um dos poucos países sem cassinos em espaço físico na América do Sul, mas o cenário nem sempre foi esse. Nas décadas de 1930 e 1940 o país viveu o auge dos cassinos no continente sul-americano, com mais de 70 estabelecimentos do segmento abertos nesse período em solo brasileiro.

Os cassinos brasileiros prosperaram na Era Vargas

Foi somente na Era Vargas (1930-1945), período em que o Brasil foi governado pelo gaúcho Getúlio Vargas, que os cassinos prosperaram de fato no país. No início dos anos 1930, o então Presidente da República assinou vários decretos para estimular a construção desses estabelecimentos.

Segundo o portal “Senado Notícias”, o imposto dos cassinos deixou de ir para o governo federal e passou a ser recolhido diretamente pelos municípios, fazendo com que os prefeitos de diferentes cidades do país se interessassem pela instalação de cassinos. A medida gerou milhares de empregos e atraiu turistas nacionais internacionais.

Rio de Janeiro foi o centro dos cassinos de luxo no Brasil

A até então capital do Brasil, o Rio de Janeiro (Brasília viria ser a capital brasileira somente em 1960), tinha os três cassinos mais luxuosos do país entre as décadas de 1930 e 1940: o Cassino da Urca, o Cassino Atlântico e o cassino do Copacabana Palace — talvez o mais marcante de todos.

O cassino do Copacabana Palace era considerado um dos melhores do mundo, até mesmo que os europeus. Ele era muito frequentado for celebridades do Brasil e do mundo, como o aviador brasileiro Santos Dumont, o cantor norte-americano Frank Sinatra, o físico teórico alemão Albert Einstein, entre tantas outras personalidades influentes das primeiras décadas do século XX.

Certamente, um dos jogos mais requisitados pelos visitantes nos cassinos do Rio de Janeiro daquela época era a clássica roleta, que tinha como principais trunfos o alto status e as suas inúmeras variantes para escolher. Mas é importante destacar que os cassinos brasileiros não resumiam somente a jogos, muito pelo contrário.

Os clientes desses estabelecimentos tinham restaurantes com chefes de cozinha renomados à disposição, assistiam a alguns dos melhores teatros musicais da época, bem como tinham a opção de dançar ao som de orquestras em salões espaçosos e beber drinks nos bares. De acordo com a extinta revista “O Cruzeiro”, o hotel cassino Quitandinha, com sede em Petrópolis, contava com um dos melhores restaurantes do mundo nos anos 1930.

Apresentações artísticas também marcaram os cassinos brasileiros

Sem dúvidas alguma, um dos maiores atrativos dos grandes cassinos brasileiros eram as apresentações artísticas. Grandes nomes da música nacional e internacional, como por exemplo a cantora luso-brasileira Carmen Miranda e o cantor norte-americano Bing Crosby, abrilhantaram os estabelecimentos de jogos no país em várias oportunidades.

No final dos anos 1930, Carmen Miranda fez tanto sucesso que ela era uma das personalidades mais requisitadas pelos cassinos do Rio de Janeiro. Além disso, as apresentações em solo carioca ajudaram a abrir caminho para o sucesso da artista como cantora e atriz no exterior, principalmente nos Estados Unidos.

A luso-brasileira era a principal estrela do Cassino da Urca — as suas exibições no local rendem boas histórias até hoje. Também vale destacar que o álbum da cantora “Carmen No Cassino da Urca” é uma boa opção para quem quer viver um pouco daquela época. O histórico álbum conta com 16 canções e está disponível nas principais plataformas de streaming musical.

Quando os cassinos brasileiros fecharam as portas?

Após a saída de Getúlio Vargas da presidência em 1945, o setor de cassinos perdeu força no país. Não demorou muito e, em de abril de 1946, o então Presidente da República Eurico Gaspar Dutra assinou um decreto que proibiram os cassinos em espaço físico no Brasil.

Desde então, muito se pergunta sobre a possibilidade do país ter cassinos instalados em solo nacional novamente, visto que o principal argumento para a volta deles seria para aquecer o setor do turismo nacional em posições estratégicas e a geração de novos empregos diretos e indiretos — assim acontece em vários países de primeiro mundo, como Estados Unidos e Austrália.

Portanto, se hoje o Brasil é um dos países mais procurados para o turismo, é provável que a liberação da construção de cassinos em pontos estratégicos se torne um atrativo a mais para os visitantes.

Atualmente, a liberação dos cassinos em espaço físico segue em pauta na Câmara dos Deputados brasileira, mas sem previsão de definição sobre o assunto.

 

Sistema de Comunicação de Pernambuco

Copyright © 2021 PE News. Desenvolvido por avanzzada

Grupo Remop