Nos siga nas redes sociais

Policial

Em audiência, Sari diz que “está sendo ameaçada”

Publicado

em

Após nova audiência de instrução do caso Miguel, realizada nesta quarta (15), no Recife, para a oitiva de Sari Corte Real e outras duas testemunhas de defesa, Mirtes Souza, mãe da vítima, concedeu entrevista em coletiva à imprensa, realizada no Gabinete de Assessoria Jurídica às Organizações Populares (Gajop), no bairro da Boa Vista. Ela falou acompanhada pelos advogados Maria Clara e Rodrigo Almendra, e pelo cineasta e militante do Coletivo da Negritude do Audiovisual, Igor Travassos.

Antes do posicionamento de Mirtes, os advogados do Gajop, que prestam assistência jurídica no caso, explicaram o ocorrido durante a audiência desta quarta (15). Segundo Rodrigo Almendra, nesta parte do processo são coletados depoimentos para levar provas ao conhecimento do poder judiciário. Ainda de acordo com o jurista, os depoentes fizeram declarações com o “sentido de demonizar o menino Miguel”, além disso, o psicólogo convocado, Carol Costa Junior, não teria atendido a vítima em nenhum momento, sendo assim seu depoimento foi “impedido pelo magistrado”.

Já a advogada Maria Clara disse que Sari Corte Real se recusou a responder as perguntas da assistência de acusação. “É um direito dela, mas não tivemos oportunidade de esclarecer algumas questões que forem ocultadas na fala de Sari”. Almendra complementou a colega:

“Ela repetiu a versão por todos já conhecida que é um procedimento em que ela tira a responsabilidade de si dizendo-se incapaz de agir como adulta por conta da filha que a teria distraído.

A audiência para a coleta dos depoimentos de Sari, e das testemunhas de defesa, Luciene Raimundo, funcionária da ré, e Carol Costa Júnior, psicólogo, durou cerca duas horas no Centro Integrado da Criança e do Adolescente (CICA), onde está localizada a 1ª Vara de Crimes Contra a Criança e do Adolescente. Sari chegou ao local por volta das 8h40 e saiu pouco depois das 12h, em um carro branco com vidros fumê.

Já Mirtes, que acompanhou o interrogatório da ré afirmou ter ouvidi uma “fala muito bem articulada” e “ensaiada”. “Até o show que ela deu no final. Ela chorando, dizendo que está sendo ameaçada. Até eu que conheço ela sei que aquilo ali realmente foi um show”. A mãe de Miguel também rebateu afirmações da ex-patroa que alega que ela e sua mãe, Martq Souza, dariam uma má educação a Miguel e frisou, novamente, que continuará buscando por justiça. “Ela diz que eu e minha mãe estamos sendo ingratas com ela. Ingrata? Ela cometeu um crime! Diante disso eu tenho que ficar calada? Só porque quando viajava pro exterior ela trazia um agrado ou outro? Eles falam como se eu fosse a pior mãe do mundo, se eu fosse, eu não estaria aqui lutando para ela pagar pela morte do meu filho”.

Continue Reading
Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Sistema de Comunicação de Pernambuco

Copyright © 2021 PE News. Desenvolvido por avanzzada

Grupo Remop