Nos siga nas redes sociais

Destaques

Ex-diretora do Náutico presta depoimento sobre importunação sexual de irmão do presidente do clube

Publicado

em

A ex-diretora do Náutico, Tatiana Roma, prestou depoimento na 1ª Delegacia da Mulher, em Santo Amaro, no centro do Recife, acusando o superintendente financeiro do Timbu, Errisson Rosendo de Melo, de importunação sexual, além dos crimes de calúnia, difamação e injúria. Após registrar inicialmente um Boletim de Ocorrência (B.O.), no dia 12 de novembro, ela apresentou provas em áudio e texto, além de detalhar o caso para a instauração do inquérito

“Dei meu depoimento na delegacia e anexei as provas que tenho, tanto em conversas no WhatsApp como o áudio com o membro da Torcida Organizada sobre a falsa denúncia de injúria racial que seria feita. O inquérito foi instaurado e o próximo passo será levar as testemunhas, disse Tatiana. O acusado é irmão do presidente do Náutico, Edno Melo.

De acordo com a ex-diretora, outras cinco mulheres também relataram ter sofrido assédio de Errisson. “Não vamos divulgar os nomes para manter o sigilo, mas uma delas já se colocou à disposição para dar um depoimento também”, completou.

Nesta terça-feira (23), o ex-vice-presidente jurídico do Náutico e atual candidato à presidência do clube, Bruno Becker, se posicionou sobre o assunto após o clube, em nota, afirmar que o acordo proposto inicialmente entre as partes teve indicação do jurídico.

“Em momento algum foi indicado (por mim) o acordo. Esta ‘saída’ foi uma sugestão dada pelo presidente do Conselho Deliberativo (Alexandre Carneiro), que, inclusive, se prontificou a ‘presidir’ a sessão de mediação. Quem discutiu os termos foi o presidente executivo (Edno Melo)”, declarou.

Segundo Becker, ele “tão somente redigiu o acordo, com anuência das partes, porém, sem externar qualquer juízo de valor sobre a decisão delas”.

Em entrevista à Rádio Jornal, o presidente do Náutico, Edno Melo, defendeu o irmão e citou que “questões políticas” motivaram a denúncia da ex-diretora.“Não estou aqui para passar a mão na cabeça de ninguém. Minha família está sofrendo bastante. A esposa dele, meus pais, todos. As consequências são mais graves do que ela (Tatiana) imagina. Ficar com inverdades? Não admito. Vamos apurar o fato, mas não com mentiras”, disse o mandatário.

Sobre o acordo citado por Tatiana, da doação de 50 cestas básicas para não prosseguir com a denúncia no Conselho Deliberativo, o mandatário afirmou que a escolha partiu da antiga funcionária, citando também que o posicionamento pode ter “influência política”, devido à proximidade das eleição presidencial do Timbu, marcada para o dia 5 de dezembro. “Por que tanta insistência para fazer um acordo? E por que agora, com dez dias da eleição? Isso (uso eleitoral) foi claro”, acusou.

Acusado nega crimes

Procurado pela Folha de Pernambuco, o advogado de Errisson, Luiz Gaião, declarou que conversou com o cliente, que negou todas as acusações.

“Ele está muito tranquilo, disposto a prestar qualquer esclarecimento às autoridades. Errisson nega que cometeu os crimes. Está afastado do cargo e acompanhando a situação. É uma acusação séria e até o momento nenhuma prova foi apresentada, além da queixa criminal”, informou.

Com informações da Folha de Pernambuco

Sistema de Comunicação de Pernambuco

Copyright © 2021 PE News. Desenvolvido por avanzzada

Grupo Remop