Fundarpe dá início ao processo de tombamento da Usina Santa Terezinha, em Água Preta

Com o início do processo, e até a conclusão do processo, estão asseguradas ao conjunto arquitetônico os mesmos direitos de um bem tombado no Estado
 Fundarpe dá início ao processo de tombamento da Usina Santa Terezinha, em Água Preta

Conjunto Arquitetônico Usina Santa Terezinha_Fotos enviadas no pedido de tombamento – Foto: Divulgação

A Fundação do Patrimônio Histórico e Artístico de Pernambuco (Fundarpe) marca um importante capítulo na preservação do patrimônio cultural do estado ao iniciar, nesta sexta-feira (29), o processo de tombamento do Conjunto Arquitetônico da Usina Santa Terezinha, localizada no município de Água Preta. Este processo, que se estenderá até a sua conclusão, assegura à Usina Santa Terezinha os mesmos direitos de um bem já tombado, garantindo a proteção de sua história e arquitetura excepcionais.

No escopo deste processo de tombamento, estão incluídas duas áreas fundamentais da Usina Santa Terezinha: a Área Operacional, que narra a evolução das usinas de açúcar e a economia canavieira em Pernambuco, e a antiga Vila Operária, um tesouro urbano que mantém sua configuração original da década de 1920 até os dias de hoje.

A presidente da Fundarpe, Renata Borba, esclarece que o próximo passo será um levantamento minucioso, conduzido pela Gerência de Preservação do Patrimônio Cultural da Fundarpe. Esse levantamento fornecerá informações essenciais para fundamentar o parecer técnico que será submetido ao Conselho Estadual de Preservação Cultural.

Este é um marco histórico para Pernambuco, sendo o primeiro caso de tombamento de uma usina no estado. A importância histórica da Usina Santa Terezinha reside em seu feito notável de manter intacto seu parque industrial após sua desativação, além de conservar grande parte do casario original da década de 1920.

A decisão de salvaguardar este conjunto arquitetônico segue rigorosamente a legislação estadual, estabelecida através da Lei nº 7.970/1979 e do Decreto nº 6.239/1980, que instituem e regulamentam o Tombamento de Bens pelo Estado de Pernambuco.

A história da Usina Santa Terezinha ganha ainda mais relevância por ter se transformado em um pólo de arte e cultura com o projeto “Usina de Arte”, iniciado há seis anos. Este projeto visou proporcionar uma nova forma de ocupação socioeconômica para a comunidade local da antiga indústria açucareira.

A Associação Socioambiental e Cultural de Jacuípe, responsável pela gestão da Usina da Arte, descreve o projeto como uma jornada de trocas de ideias com professores da rede escolar e moradores locais, buscando caminhos alternativos para oferecer às comunidades uma visão mais ampla de possibilidades de vida.

Bruna Queiroz, presidente da Usina de Arte, enfatiza que, ao implantar um parque artístico botânico, eles se tornaram uma referência na região Nordeste e em todo o país. Como resultado, atraíram um fluxo crescente de turismo, impulsionando a economia local através de empreendimentos desenvolvidos pela própria comunidade e capturando o potencial econômico gerado por essa atividade.

Atualmente, o projeto inclui uma escola de música, biblioteca, laboratório de fabricação digital, programas de empreendedorismo e educação ambiental, entre outras atividades que enriquecem a vida cultural e econômica da região. O tombamento da Usina Santa Terezinha não apenas preserva seu passado, mas também sustenta seu papel vital como um farol de inovação e crescimento na comunidade de Água Preta, Pernambuco.

Digiqole Ad Digiqole Ad

Notícias relacionadas

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *