Menopausa: Desvendando a Reposição Hormonal e Suas Alternativas

 Menopausa: Desvendando a Reposição Hormonal e Suas Alternativas

Foto: Reprodução

Quando se fala em menopausa, logo vem à cabeça a terapia de reposição hormonal. O que poucas mulheres sabem é que nem todas elas precisarão ou poderão recorrer a este tratamento. O que ocorre é que com a natural redução da produção de alguns hormônios, como o estrogênio e a testosterona, já no período que antecede a menopausa, muitas mulheres sofrem com sintomas que impactam sua qualidade de vida.

“Os fogachos, as ondas de calor causadas por alteração dos vasos sanguíneos em decorrência da falta de hormônios femininos, dormência nas mãos e pés, ansiedade, depressão, insônia, alterações de humor e palpitação, são alguns deles”, explica o Dr. Alexandre Rossi, médico ginecologista e obstetra, responsável pelo ambulatório de Ginecologia Geral do Hospital e Maternidade Leonor Mendes de Barros e médico colaborador de Ginecologia da Faculdade de Medicina da USP.

Eventualmente, podem ocorrer ressecamento da região vaginal e diminuição de libido.

A terapia pode ser indicada por meio de comprimidos via oral; gel ou adesivos (através da pele); ou via vaginal (cremes, comprimidos ou óvulos vaginais).

Além da reposição hormonal, há outras medidas que podem auxiliar na redução dos sintomas e melhora da qualidade de vida na menopausa.

A prática regular de atividade física e manter uma alimentação balanceada são muito importantes. O uso de lubrificantes pode ser uma solução para o caso de desconforto e dor nas relações sexuais.

Indicações e contraindicações

A indicação da terapia de reposição hormonal deve ser feita individualmente, após avaliação de cada paciente, de seu histórico de saúde, exames e da análise de algumas questões de saúde de familiares próximos. 

Ou seja, existindo a indicação, a recomendação será feita a todas as pacientes que não apresentarem fatores de risco.

No caso de mulheres que tenham risco cardiovascular aumentado ou predisposição para o câncer de mama, por exemplo, será necessário avaliar cuidadosamente e, eventualmente, optar por tratamentos alternativos”, explica o Dr. Alexandre.

Nos casos em que a reposição hormonal clássica é contraindicada, há opções de medicamentos não hormonais ou as isoflavonas, que são hormônios derivados de plantas, com potência reduzida, porém mais seguras para algumas pacientes.

Outros benefícios

Um dos principais benefícios da reposição hormonal é a diminuição dos sintomas relacionados à menopausa. Também contribui para prevenção da osteoporose e outras questões relacionadas à redução da produção de hormônios, como queda de cabelo, sobrepeso, especialmente na região abdominal, enfraquecimento de unhas e ressecamento da pele. 

Céu Albuquerque

Engenheira Civil em Segurança do Trabalho, especialista em Orçamentação, Planejamento e Controle na Construção Civil, Jornalista e Fotógrafa.

Related post

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *