Metroviários do Recife mantêm paralisação do sistema nesta segunda-feira (14)

 Metroviários do Recife mantêm paralisação do sistema nesta segunda-feira (14)

Com a operação suspensa durante todo o final de semana, o Metrô do Recife vive mais um dia de greve nesta segunda-feira (14). A paralisação, retomada pelos metroviários no dia 11, acontece enquanto a categoria não entra em acordo com a Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU) sobre o reajuste salarial deste ano.

Na sexta, a companhia informou que estava “adotando as medidas cabíveis para retomada da operação de trens em Recife, visando o atendimento à população”.

No entanto, segundo o presidente do Sindicato dos Metroviários de Pernambuco (Sindmetro-PE), Luiz Soares, nenhuma notificação foi encaminhada aos sindicalistas. Dessa forma, uma nova assembleia geral será realizada hoje pelos trabalhadores para definir os rumos da paralisação.

“Por enquanto, continua tudo parado por tempo indeterminado. Foi essa a decisão que tomamos em assembleia geral na última quinta-feira. Vamos ter outra, às 18h, onde vamos encaminhar os informes do que está acontecendo”, afirmou.

Após a reunião, parte dos trabalhadores seguirá em caravana para Brasília. Até o momento, a agenda prevê um encontro com a Secretaria de Coordenação e Governança das Empresas Estatais (SEST) e a realização de um ato público. O objetivo da categoria é discutir os rumos do sistema com integrantes do governo federal.

“Temos a perspectiva que o presidente Lula nos receba. Queremos resolver não só nosso acordo coletivo, mas também a retirada da CBTU do Programa Nacional de Desestatização”, informou o presidente do Sindmetro-PE.

Na última sexta, o Metrô do Recife foi incluído entre os sistemas metroferroviários do país que fazem parte do novo Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). Porém, o fato não garante que a gestão do equipamento permanecerá pública.

“Ainda não tem definição sobre o recurso que foi destinado, são R$ 4 milhões para fazer os estudos de requalificação, ou seja, recuperação do sistema”, observou Luiz.

De acordo com o metroviário, é necessário um investimento de cerca de R$ 1,5 bilhão para a recuperação total. “Com investimento, podemos ter um sistema eficiente e com qualidade para atender a população. Além disso, queremos discutir a redução na tarifa para R$ 2. Ela subiu de R$ 1,60 para R$ 4,25, é um preço muito alto para a população pernambucana”, concluiu.

Digiqole Ad Digiqole Ad

Notícias relacionadas

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *