Os cabelos e a volta à rotina pós-pandemia

Danielle Farias Janguiê- Advogada
 Os cabelos e a volta à rotina pós-pandemia

Danielle Farias Janguiê

Estamos há mais de 80 dias de isolamento social, com a maioria respeitando os decretos governamentais de não sair de casa, bem como com todo comércio e serviços não essenciais fechados para evitar a disseminação do covid19.

Há quem discorde da listagem de “serviços essenciais”, mas isso não vem ao caso, em primeiro, cuidemos da saúde, e que estejamos todos em segurança.

Mas como já citamos em outro momento, sempre, SEMPRE depois de uma grande tormenta (ou pandemia) aparece uma mudança um tanto radical no modo de vestir-se, portar-se e apresentar-se no ser humano.

Quanto às mudanças no mundo da moda, já fizemos nossas apostas, e continuamos com o mesmo pensamento, em primeiro consumo desenfreado de tudo que estava represado, e em seguida a calmaria e a chegada do novo normal.

Para não voltar neste tema (basta ler a coluna sobre o novo normal), vamos falar da mudança que mais será notada nessa volta da pandemia, saída do Home Office e retorno à rotina.

Os cabelos. Quando uma mulher decide que a vida precisa mudar, ou que está pronta para um novo capítulo, muda os cabelos.

Pode ser por um corte curto, pode ser por aplicação de extensões para alongar, cachear os lisos e alisar os cacheados. Mas a mudança mais significativa é a cor.

A grande maioria das mulheres vai apostar na mudança de cor. A vogue Inglesa, aposta que as cores serão o must-have do momento pós pandemia (ainda não chegamos nesse ponto aqui nas terras tupiniquins) mas na Europa já se tem que a cor do verão pós-pandemia será o ruivo.

Variando entre ruivos quentes e mais fechados, as européias, aposta a revista, estarão procurando mudanças significativas no visual, que não seja somente de roupa mas de imagem em si. Segundo o colorista Josh Wood, “O ruivo é a cor que indica a superação da estação passada” não posso afirmar com certeza, mas acredito que o outono laranja traz consigo uma ideia de esperança, que as novas flores e folhas chegarão em breve.

A cabeleira vermelha já estava no gosto das brasileiras há um tempo, temos em todo país especialistas em ruivos que trazem nuances maravilhosas, e deixam o semblante mais leve e delicado.

A questão é a mensagem que será passada com a mudança mesmo que não tão radical das mulheres que escolherem esse passo.

Essa semana os salões de beleza foram autorizados a reabrirem com EPIs e com redução significativa no atendimento além de atendimento individual com hora marcada. Para muitas, um grande avanço, para outras, não faz diferença.

Mas a verdade é que a grande maioria vai sim procurar um cabelereiro para ajustar a sua imagem já talvez desgastada para si mesma em tantas lives e reuniões via plataformas. Em nenhum tempo você se vê tanto, independente de quantos espelhos hajam na sua casa, hoje a consciência do “eu” está mais ativa e altiva, arrisco dizer que para algumas, cansativa.

Esse, provavelmente será o principal motivo para a mudança na imagem. Sim, os cabelos são a moldura do rosto, e assim sendo, com o fim de uma grande tempestade, nada melhor que uma mudança visível que nos lembre que sobrevivemos e que estamos não só melhores, mas diferente.

Digiqole Ad Digiqole Ad

Notícias relacionadas