Projeto levará estudantes da rede municipal do Recife a intercâmbio cultural em Portugal

Cem alunos vão participar de acampamento educativo para discutir a Independência do Brasil entre os dias 18 e 24 de julho
 Projeto levará estudantes da rede municipal do Recife a intercâmbio cultural em Portugal

Cem adolescentes de escolas da rede municipal do Recife terão um programa de férias diferente este ano. Entre os dias 18 e 24 de julho, eles participarão do “Campus de Arte-Educação”, uma das etapas do projeto “Era Uma Vez… Brasil”. A iniciativa levará, no mês de novembro, estudantes e professores da capital para um intercâmbio cultural de 10 dias em Portugal. O projeto reconta a História do Brasil, trabalhando em sala de aula narrativas não mostradas pelos livros didáticos tradicionais e exaltando a importância dos povos originários na construção histórica do país.

Durante sete dias de acampamento, que será realizado na Escola Municipal Karla Patrícia, em Boa Viagem, zona sul do Recife, os alunos participarão de oficinas de audiovisual, nas áreas de interpretação, roteiro, som e fotografia, além de vivências afro-brasileiras e indígenas em encontros com representantes do Quilombo Catucá, do Terreiro Santa Bárbara Nação Xambá e de etnias indígenas de Pernambuco.

Voltado para estudantes e professores de História do oitavo ano da rede pública de ensino, o “Era Uma Vez… Brasil” chega à sua sétima edição em 2023 trabalhando o recorte temático “Mais do que o Ipiranga: as independências de outros Brasis”. A iniciativa desenvolve atividades de arte-educação durante todo o ano letivo das escolas municipais, impactando alunos e professores.

“Acabamos de completar 200 anos de independência e, motivados também por isso, queremos sair da imagem engessada que todos têm desse momento, de Dom Pedro I, homem heroico, que em cima de um cavalo branco levanta uma espada e proclama a independência. Buscaremos lançar luzes às pessoas e narrativas negligenciadas pela historiografia cristalizada sobre o tema. Destacar a história de mulheres e homens, negros e indígenas, que lutaram pela emancipação do Brasil nas mais variadas regiões do país, e que não tiveram o devido reconhecimento”, explica Marici Vila, diretora executiva do “Era Uma Vez… Brasil”.

QUADRINHOS, FILMES E INTERCÂMBIO

Na primeira etapa, chamada de “Fatos Históricos” e finalizada em maio, o projeto mobilizou professores de História do 8º ano de 14 escolas municipais. Esses professores participaram de encontros de formação e capacitação, incluindo vivências culturais de temática indígena e afro-brasileira. A partir desses encontros, os docentes propuseram atividades em sala de aula para os alunos inscritos.

Como resultado, os estudantes produziram mais de 300 histórias em quadrinhos (HQs) e vídeos de até um minuto com a temática do projeto. Os adolescentes que criaram as 100 melhores HQs seguem esta semana para a próxima etapa. Ao final do projeto, as cem melhores HQs produzidas em todo o Brasil integrarão o livro “Era uma vez… Brasil”, que será distribuído em escolas e bibliotecas no Brasil e em Portugal.

Durante esses sete dias de imersão no campus, os estudantes produzirão curtas-metragens sobre tudo que aprenderam durante o processo. Esses filmes e o desempenho individual de cada adolescente são decisivos para a seleção dos nomes que seguirão em novembro para a próxima etapa do projeto: a viagem para Portugal. O anúncio dos estudantes que irão para o intercâmbio acontecerá em agosto, durante um evento realizado na cidade.

O “Era Uma Vez… Brasil” no Recife é patrocinado pela Lwart Soluções Ambientais e conta com o apoio da Lei Federal de Incentivo à Cultura, pelo Ministério da Cultura, Governo Federal.

Digiqole Ad Digiqole Ad

Notícias relacionadas

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *