Zoé de Todas as Flores é coroação ao brilhantismo de Regina Casé

Carreira da atriz foi contemplada pelo autor João Emanuel Carneiro com uma das personagens mais emblemáticas da última década na dramaturgia
 Zoé de Todas as Flores é coroação ao brilhantismo de Regina Casé

“Você tinha que ter fechado comigo, que sou uma vencedora”: a frase proferida repetidas vezes por Zoé, personagem de Regina Casé em “Todas as Flores”, parece fazer ainda mais sentido quando reconhecemos que ela foi, sem dúvida, o maior vitoriosa na história contada por João Emanuel Carneiro no Globoplay.

A obra chega ao fim nesta quinta-feira (1°/06), e independentemente de qualquer opinião sobre o seu desenvolvimento, é inegável que o autor fez história ao contemplar a carreira da atriz com uma das personagens mais emblemáticas da dramaturgia brasileira na última década.

Casé, embora o extenso currículo de grandes trabalhos no cinema nacional e a recente Amor de Mãe (2919 – 2021) na faixa nobre da Globo, fazia muito, mas muito tempo que não recebia um papel tão desafiador e de tamanha importância num produto do gênero. Aliás, a puxar pelo histórico, seu talento infelizmente nem foi tão bem explorado nas novelas ao longo dos anos.

Zoé é presa em Todas as Flores

Regina Casé como Zoé em cena de Todas as Flores (Reprodução: Globoplay)

Hoje, aos 69 anos, a renomada veterana volta a desabrochar para o grande público por meio de uma vilã cheia de nuances, irresistível, que transitou perfeitamente entre exageros e espontaneidade, que apresentou dubiedade em seus traços. Uma personagem fascinante que deixará saudades.

A expansividade de Zoé recebeu altas doses de transtornos de personalidade, uma característica muito própria das vilãs de JEC. O efeito alcançado, podemos dizer, foi tão bom quanto o de Adriana Esteves como Carminha em “Avenida Brasil” (2012) ou Giovanna Antonelli como a Bárbara de “Da Cor do Pecado” (2004), dois importantes trabalhos do mesmo autor.

Regina Casé interpreta Zoé em Todas as Flores, do Globoplay (Reprodução: Globoplay)

Regina Casé interpreta Zoé em Todas as Flores, do Globoplay (Reprodução: Globoplay)

Com menção honrosa ao brilhantismo de Letícia Colin na pele de Vanessa, que também entra para a história das novelas como uma das personagens mais interessantes que surgiram nesses tempos, “Todas as Flores” valeu a pena pela dobradinha de vilãs que se alternavam em seus crimes, e até no alívio cômico, mas se teve uma personagem que ganhou torcida e foi o “fechamento” da população assinante do Globoplay nos últimos meses, essa foi Zoé da Cruz, por Regina Casé.

Digiqole Ad Digiqole Ad

Notícias relacionadas

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *