Governo de Pernambuco decide manter aulas presenciais nas escolas públicas estaduais

 Governo de Pernambuco decide manter aulas presenciais nas escolas públicas estaduais

As escolas públicas estaduais de Pernambuco vão manter as aulas presenciais,  previstas para o próximo dia 3 de fevereiro. É o que recomendou o Governo, na quarta-feira, 26 de janeiro, através da Secretaria Estadual de Educação, que adotará o protocolo usado em 2021. O estado disse, no entanto, que existe a possibilidade de realização de atividades pela internet.

Na rede particular, a retomada das atividades ocorre no dia 1º do mesmo mês.

Pelo menos três cidades anunciaram o adiamento da volta às aulas por causa da Covid-19 e da alta de gripe. São elas: Paulista e Ipojuca, no Grande Recife, e Carpina, na Mata Norte.

Por meio de nota, a Secretaria Estadual de Educação informou que as escolas deverão seguir os protocolos de biossegurança contra a Covid-19. No entanto, não haverá exigência de “passaporte vacinal” para receber os estudantes.

A secretaria explicou que a recomendação é realizar essencialmente atividades presenciais. Em casos de estudantes com doenças pré-existentes, por exemplo, os pais ou responsáveis podem solicitar o apoio da instituição para a adoção do sistema remoto.

“As unidades de ensino devem continuar atentas e vigilantes às medidas de proteção e prevenção com água e sabão para higienização das mãos, dispenser com álcool em gel 70% e uso obrigatório de máscara para todos no ambiente escolar”, afirma o governo.

Ainda na nota, o estado informou que as escolas deverão orientar os pais e responsáveis para que os estudantes que apresentarem sintomas gripais fiquem em casa e busquem orientação médica.

Em caso de teste positivo para Covid, é necessário que os responsáveis comuniquem à instituição de ensino. O estudante deve ficar em isolamento para evitar a proliferação do vírus.

Sobre o retorno dos estudantes e profissionais de educação que testaram positivo para Covid-19, serão adotadas as orientações do Comitê Estadual de Enfrentamento à Covid-19. O governo determina um prazo de dez dias de afastamento para casos sintomáticos e de sete dias para os assintomáticos.

Também de acordo com a secretaria, as instituições de ensino devem promover campanhas e ações de sensibilização com pais e responsáveis para a importância da vacinação.

Também devem ressaltar a importância das normas sanitárias e demais orientações do Comitê Estadual de Enfrentamento à Covid-19.

Digiqole Ad Digiqole Ad

Notícias relacionadas