Nos siga nas redes sociais

Geral

Patrulha da Mulher de Petrolina fortalece vínculo com mulheres violentadas pelos companheiros

Publicado

em

Iniciada em março de 2019, a Patrulha da Mulher é fruto de uma parceria firmada entre a Prefeitura de Petrolina e a Vara de Violência Doméstica, e operacionalizada pela Guarda Civil Municipal (GCM). Atualmente, a Patrulha oferece assistência para 120 mulheres vítimas de Violência Doméstica, com o intuito de assegurar o cumprimento de medidas protetivas e evitar a reincidência de atos abusivos.

De acordo com o coordenador da Patrulha da Mulher, Inspetor Jenivaldo dos Santos, a Patrulha atende mulheres que tiveram medidas protetivas deferidas pela Vara de Violência Doméstica e Familiar, e também pelas ocorrências espontâneas que podem ser realizadas através da central de atendimento. Inicialmente são feitas visitas, a partir de então as mulheres conversam com os profissionais da Guarda para relatar o que ocorreu, passar informações sobre o agressor, suas rotinas, entre outras coisas informações que possam auxiliar os agentes a planejar e executar o trabalho.

“Nesse momento, nós já temos um contato maior com elas e isso cria um vínculo, nos possibilitando ter mais informações e, a partir daí, intensificar as ações. É um acompanhamento feito através da escuta durante as visitas, e também por meio de ligação direta que elas têm com a GCM, pelo 153, e também com um número privativo para essas mulheres. Assim, elas fazem o contato direto com a Patrulha, caso haja necessidade”, destacou Jenivaldo.

O coordenador ressalta que o trabalho é realizado após a prestação de queixa por parte das assistidas, sendo importante o estabelecimento de vínculo com cada uma dessas mulheres, além de incentivar conversas para orientá-las acerca dos procedimentos adotados pela Patrulha e outras instituições que compõem a rede de proteção.

“Violência doméstica é algo que mexe com a estrutura familiar. Quando conduzimos um autor de agressão percebemos que estamos mexendo com a família. Então, o nosso trabalho é com a mulher depois da prisão, de um fortalecimento, de uma conversa. O mesmo acontece com os filhos. Esse é um trabalho que requer vínculo de confiança”, finalizou.

Sistema de Comunicação de Pernambuco

Copyright © 2021 PE News. Desenvolvido por avanzzada

Grupo Remop